Vestibular Unificado 2023
    Formulário - Covid-19 Alunos
    Guia de retomada segura das atividades
27
set

‘Fundação na praça’ fortalece a XXXI Semana Monsenhor Albino

Prestação de serviços nas áreas de saúde, educação e assistência foram oferecidos para o público. Atendimentos gratuitos, orientações e interatividade marcaram mais uma ‘Fundação Padre Albino na Praça’ na manhã de24 de setembro, integrante da programação da 31ª Semana Monsenhor Albino. Todas as unidades de negócios da FPA foram distribuídas em 17 tendas na Praça Monsenhor Albino, com ofertas de serviços gratuitos para as pessoas que passavam pelo local. “O objetivo da Semana, além de reforçar a memória e todo o legado que nosso Venerável Padre Albino deixou é também mostrar à comunidade os serviços que a Fundação oferece nas áreas de saúde, educação e assistência”, ressalta Maria Cândida Gil Vitral, coordenadora de marketing. O Centro Cultural e Histórico levou à praça objetos para que o público tivesse maior contato com o conteúdo histórico do Padre Albino. “As pessoas ficam curiosas em saber como era o chapéu, o relógio, até os sapatos bem humildes que Pe. Albino usava em suas andanças para pedir donativos. Quando olham para a igreja Matriz que ele construiu, se surpreendem”, disse o coordenador do centro cultural, Prof. José Cione Neto. (Fotos: Comunicação FPA) Na área da saúde os hospitais Emilio Carlos e Padre Albino apresentaram suas conquistas na área de humanização e qualidade, como o ‘Selo Amigo do Idoso’ e ‘Qualificação Hospital Amigo da Criança’. O AME Catanduva orientou quanto ao desmarque consciente de consultas agendadas com o projeto ‘Ame ao próximo’ e distribuiu mudas de hortaliças e plantas medicinais. O Padre Albino Saúde levou equipe para coleta de hemograma gratuito e oferta de brindes aos visitantes. O Recanto Monsenhor Albino, levou produtos cultivados em sua horta orgânica e presenteou os participantes por meio de jogos lúdicos aplicados aos seus institucionalizados. (Fotos: Comunicação FPA) InteratividadeA população também foi mais participativa nessa edição, pois alguns stands permitiam a interatividade. Quem visitou o stand do curso de Farmácia/Unifipa pode fabricar seu próprio creme hidratante para cutículas e outros cosméticos. “Muito legal essa experiência de misturar os ingredientes e usar um creme que eu mesma fiz”, falou uma visitante do local. Outras interações aconteceram, como o quizz do curso de Administração, jogo da memória do curso de Direito, e turma da Pedagogia com seus jogos educativos que fizeram a alegria das crianças. Também foram para a praça os cursos de Engenharia Agronômica, Enfermagem, Educação Física, Biomedicina, com testes de glicemia, e Medicina, que montou um CTI cênico. O Colégio Catanduva divulgou seu trabalho com o curso Técnico de Enfermagem, com oferta de bolsas de até 100%. (Fotos: Comunicação FPA) SolidariedadeCom o evento ‘O rádio abraça o HCC’, as emissoras Jovem Pan, Band FM, Nativa, Ondas Verdes, Vox, Mix e Clube FM fizeram transmissão simultânea para arrecadar fundos para o Hospital de Câncer de Catanduva. A cada doação recebida por meio de PIX ou no local, um sino era tocado, simbolizando a esperança que move o trabalho do hospital. (Fotos: Comunicação FPA) Galeria de Fotos:
26
set

Dr. Nelson Jimenes e Elias da Motta recebem troféus na Semana Monsenhor Albino

Foto/Comunicação FPA O conselheiro curador e reitor da Unifipa, Dr. Nelson Jimenes, e ocolaborador do Hospital Emílio Carlos, Elias da Motta,receberamno dia23 de setembroúltimo, no Teatro Municipal Aniz Pachá, os troféus Monsenhor Albino e Fundação Padre Albino, respectivamente. O evento fez parteda programação da XXXI Semana Monsenhor Albino.Elias da Motta foi admitido em1995como Atendente de Enfermagem no Hospital Emílio Carlos. Em1998passou a Auxiliar de Enfermagem e em2017para Técnico de Enfermagem. Nesse período trabalhou em diversos setores do hospital; atualmente atua na Ala Vermelha/UTI.A diretora de Saúde e Assistência Social, Renata Bugatti, entregou o troféu e falou sobre o homenageado. Disse da sua honra e satisfação em falar de “uma história de sucesso”. Ressaltou que o trabalho na área hospitalar não é para qualquer ser humano e sim para pessoas especiais, principalmente por trabalhar em uma UTI, “mas existem os seres humanos designados e abençoados, bem como com capacidade técnica para essa empreitada”, completou, informando que essa história era a do técnico de enfermagem Elias.Foto/Comunicação FPARenata frisou que Elias é um profissional extremamente comprometido, engajado com as mudanças, proativo com os colegas, respeitoso e humanizado, que pratica diariamente todos os valores da Fundação Padre Albino. “Acredito que o sucesso do indivíduo está atrelado ao seu ideal e à plenitude da sua vida e não às recompensas. O reconhecimento vem com o tempo, não para fortalecer o ego, mas para que as boas ações sirvam de exemplo”.A diretora, por fim, disse que em nome da Fundação agradecia e parabenizava Elias “por ser exemplo aos nossos mais de dois mil colaboradores” e que desejava que ele continuasse sua trajetória com essas boas práticas que propagam o legado de Padre Albino, “pois a Fundação continua contando com o seu comprometimento e de todos, pois somente juntos poderemos vencer ainda mais”. E leu mensagem dos colegas da equipe da UTI adulta do Hospital Emílio Carlos.Elias agradeceu a Deus pela vida e lembrou que atuando na Pastoral de Saúde fez várias visitas ao “Emílio Carlos”, onde depois foi admitido. Disse que não tinha experiência e por isso agradeceu muito aos colegas de trabalho, pois aprendeu muito com eles, tornando-se o profissional que éhoje.O Troféu Fundação Padre Albino tem o objetivo de, em reconhecimento aos méritos de membros da Fundação e seus funcionários, distinguir, exaltar e homenagear os mesmos, ainda em vida, apresentando a eles o agradecimento pelos bons serviços prestados e para que seu trabalho seja estímulo e exemplo para seus colegas e pessoas que se destacam com algum ato em dedicação a Fundação. Foto/Comunicação FPATroféu Monsenhor AlbinoO Troféu Monsenhor Albino, outorgado ao Dr. Nelson Jimenes, tem o objetivo de homenagear e reconhecer os méritos de pessoas que, de alguma forma, colaboraram e auxiliaram Monsenhor Albino ou que colaborem e/ou trabalhem pela Fundação Padre Albino com o mesmo espírito benemérito e cristão de Monsenhor Albino.Dr. José Carlos Rodrigues Amarante, presidente do Conselho de Administração, falou sobre o homenageado e entregou a ele o troféu. Disse que não o conhecia “até o dia da nossa posse no Conselho de Curadores, no dia primeirode junhoe 2000, e pela nossa maneira semelhante de pensar e agir, fomos nos tornando como irmãos siameses dentro da Fundação, e não tomamos nenhuma decisão relevante sem nos consultar um ao outro. Mesmo sem termos convivência de amizade fora da Fundação, temos os mesmos sentimentos de fraternidade de um para com o outro”, lembrou.Dr. Amarante afirmou que “conhecendo-ohoje, depois de 22 anos de convivência na Fundação, posso garantir que tudo o que fez não foi absolutamente visando qualquer láurea ou agradecimento. Porém, não pode impedir que pessoas de bem, agradecidas, o homenageiem como fiel escudeiro do legado de Padre Albino, porque a homenagem é razoável e justa”. E acrescentou: “mesmo após quase 50 anos após a morte de Padre Albino, a Fundação continua firme e cada vez mais forte no cumprimento de sua missão. E continua porque homens como você e muitos do que nos antecederam, não mediram esforços para que assim fosse, mesmo não tendo, nenhum de nós, o carisma de Padre Albino. De forma que a minha alegria foi muito grande quando foi anunciada a sua escolha para receber o troféu Monsenhor Albino, porque sei do seu amor e dedicação ao legado do Venerável Padre”.Finalizando, Dr. Amarante concorda que o título de Magnífico Reitor que Dr. Nelsonhojeformalmente ostenta é justo, “pelo que de fato representa como pessoa: um homem honesto e virtuoso. Padre Albino, que certamente está conosco neste momento, aplaude de pé esta singela, porém sincera homenagem a você, Dr. Nelson Jimenes. Receba então esta homenagem com o meu fraternal abraço”.Dr. Nelson Jimenes, visivelmente emocionado, agradeceu pela indicação de seu nome para recebimento do troféu. Disse que o voluntariado o levou à Fundação, exercido nesses 22 anos de maneira quase integral, de dedicação e empenho. “Esse voluntariado não é exercido para fazer o bem para um ou para outro; é para que o cidadão tenha, efetivamente, vontade de ajudar a comunidade sem obter nada em troca”.Disse ainda da sua felicidade portersido honrado ao receber o troféu Monsenhor Albino, “que é, para todos nós, o grande voluntário, que sempre fez em benefício do próximo”. E que espera estar colocando uma semente em todos os presentes, independente da profissão. “Seja um voluntário, o que lhe dará prazer e satisfação”, afirmou. Encerrando sua fala, Dr. Jimenes homenageou todos os curadores, “que também exercem o voluntariado, na figura do Padre Synval Januário, que lhe deu posse, há 22 anos, no Conselho de Curadores da Fundação”. Peça teatral -Após a outorga dos troféus, com grande público, foi feita a última apresentação da peça teatral “Padre Albino: legado para uma cidade”, pela Cia da Casa Amarela, especialmente para a comunidade.
26
set

Mais de 700 alunos do município vão ao teatro conhecer a vida e obra de Pe. Albino

Foto/Comunicação FPAEscolas das redes de ensino municipal e particular foram envolvidas no projeto que teve apoio da prefeitura. Encerrou-se nasexta-feira,23 de setembro, o ciclo de apresentações da peça teatral ‘Pe. Albino: legado para uma cidade’, da Cia da Casa Amarela, para os alunos do 7º ao 9º anos do Ensino Fundamental das EMEFs e particulares de Catanduva.Iniciada no dia 20, dentro da programação da XXXI Semana Monsenhor Albino, a peça, que narra a vida e a obra do Venerável Pe. Albino, foi apresentada no Teatro Municipal ‘Aniz Pachá’ e reuniu 745 expectadores durante os três dias. “A apresentação da peça sobre Padre Albino para alunos das escolas sempre foi desejo da Fundação. Agora, graças à parceria com as secretarias de cultura e educação do município, esses jovens puderam conhecer a história e o legado deixado por ele”, disse Mauro Assi, assessor de imprensa da Fundação Padre Albino. Por se tratar de público extremamente jovem, muitos deles nunca haviam entrado no teatro, o que tornou o projeto ainda mais inclusivo. “Parece um cinema, só que a gente vê tudo de verdade. O Padre Albino era o dono da cidade”, disse uma aluna do 6º ano após assistir a peça. Interpretando o sacerdote, o ator Carlinhos Rodrigues diz que cada apresentação é única e não esconde a emoção. “É uma alegria enorme poder viver este grande personagem que contribuiu para a história da nossa cidade, ainda mais tendo a oportunidade de mostrar todo seu legado para jovens que, por muitas vezes, ainda não conheciam sua obra. Eu e Drika (atriz e esposa) somos educadores e pais de adolescente, o que nos deixa dupla responsabilidade de que a mensagem de luta e desafios de Pe. Albino cheguem até os corações desses alunos”, comenta o ator. Uma exposição foi montada no saguão do teatro com objetos pessoais de Pe. Albino e fotos de suas obras que contribuíram para o crescimento de Catanduva. Ao final, os alunos receberam a publicação“Padre Albino: de Portugal para Catanduva”, com histórias em quadrinhos que contam fatos inusitados vividos por ele em suas andanças em busca de donativos.
26
set

Engenharia Agronômica Unifipa promove, em parceria, palestra técnica sobre o Dia da Árvore

No dia21 de setembro, o curso de Engenharia Agronômica do Centro Universitário Padre Albino/Unifipa, a Secretaria de Meio Ambiente e o Conselho Municipal do Meio Ambiente (COMMA) realizaram a palestra técnica "O papel da arborização urbana no clima", ministrada pela docente do curso da Unifipa Dra. Maria Izabela Ferreira no anfiteatro da prefeitura. A palestrante abordou as perspectivas da arborização urbana no contexto ambiental e o impacto causado para o clima e destacou dados importantes e benéficos sobre o microclima das cidades, como o nível adequado de arborização e a melhoria da poluição e absorção de CO2 e alguns efeitos sobre a "ilha de calor", muito comum em ambientes de pouca arborização. A apresentação do evento foi da secretária do Meio Ambiente, Júlia Cassiano Wayego, que agradeceu a parceria com a UNIFIPA, contribuindo para o processo de conscientização para o selo “Município Verde Azul". O coordenador do curso de Engenharia Agronômica,Prof. Dr. João Paulo Ferreira, agradeceuDra. Maria Izabela,Juliana D'adda, diretora de meio ambiente, e a secretária Júlia pela parceria. O evento contou com a participação dos alunos, profissionais da Prefeitura de Catanduva e público em geral.

Engenharia Agronômica
Rua dos Estudantes, 225
Cep: 15809-144 - Catanduva / SP
(17) 3311-3328

Please publish modules in offcanvas position.